FANDOM


Biografia do Personagem Editar

Edward Carby (Alone in The Dark 1,2,3) - Antes do reboot do New Nightmare Editar

Edward Carby é um detetive sobrenatural que investiga casos paranormais que envolvem, fantasmas, demônios, bruxas etc. É o principal protagonista da franquia (Alone In The Dark).

Edward Carnby é um pesquisador independente e investigador particular licenciado, graduado em Química, Física, História das Religiões e Artes, e é especializado em assuntos não resolvidos ligados ao fenômeno paranormal. No entanto, nada se sabe sobre sua cidade natal, aniversário, amigos, família ou como ele se tornou um detetive particular.

Personalidade Editar

Ao longo de toda a trilogia, Carnby é realmente arrogante e admite ser bastante amargo com as outras pessoas, como mostra Alone in the Dark (1992), quando conta que guarda um desdém exagerado para com seu banqueiro (mesmo se considerando uma vítima) e não tem muitos amigos, e falta de empatia, isso sendo demonstrado com o telefonema de Greg Saunders, contratando-o para resgatar Emily Hartwood, e apesar de saber que ela está desaparecida e ser amigo dela, só pede mais dinheiro.

Alone in The Dark 1 (1992) Editar

Sinopse Editar

Em 1924, Jeremy Hartwood, um artista notável e proprietário da mansão Derceto (que recebeu o nome da divindade síria) na Louisiana, comete suicídio enforcando-se. Sua morte é suspeita apesar de parecer não surpreender ninguém, pois Derceto tem a reputação de ser assombrada por um poder maligno. O caso é rapidamente tratado pela polícia e logo esquecido pelo público. O jogador assume o papel de Edward Carnby - um investigador particular que é enviado para encontrar um piano no sótão da casa do antiquário por Emily Hartwood, sobrinha de Jeremy, que está interessada em encontrar o piano, pois ela acredita que uma gaveta secreta nele tem um bilhete em que Jeremy explica o motivo de seu suicídio. Então Carnby vai para a mansão investigar

Assim que o Edward entra na casa, as portas misteriosamente se fecham atrás dele. Relutantemente, ele continua até o sótão. Nessa sala, o terror começa. Segundos depois, após escapar de uma emboscada feita pelos monstros no sótão, Edward encontra a gaveta escondida do piano e a carta de suicídio de Jeremy, onde ele relata que uma força obscura estava tomando a casa aos poucos e que seu fim estava próximo e para não ser pego pelas criaturas, diferente dos empregados da casa que foram possuídos e se transformaram em Zumbis controlados pelo vilão, se enforcou. Após a lida da carta e sair do sótão, Edward começa sua jornada para descobrir a verdade.

História do Game Editar

É, eventualmente explicado, através de documentos encontrados durante todo o jogo, que a casa foi construída por um pirata ocultista chamado Ezequiel Pregzt, e que abaixo da casa existem cavernas que foram usadas para rituais obscuros destinados a aumentar a fortuna de Pregzt e prolongar sua vida. Durante a Guerra Civil Americana, Pregzt é baleado e Derceto incendiada por soldados da União . No entanto, o espírito de Pregzt sobreviveu, e seu cadáver foi colocado por seus servos em uma árvore velha nas cavernas abaixo de Derceto. Apesar de seu corpo estar morto, seria possível para ele regenerar-se, mas para isso exigia-se um hospedeiro vivo. Jeremy Hartwood cometeu suicídio para evitar que seu corpo fosse usado como hospedeiro; então Pregzt agora concentra suas energias no personagem do jogador.

E depois por passar por vários desafios, armadilhas e criaturas e ler os documentos, Edward sabe o que tem que fazer e encontra uma passagem secreta que dá acesso a cavernas subterrâneas onde o pirata Ezequiel possa estar e assim derrota-lo. Passando por corredores escuros e guardados pelos servos de Pregzt (inclusive um verme gigante).

Chegando na árvore onde o velho pirata está, Edward joga o seu lampião na árvore para queimar o corpo do vilão e assim destruir o seu espirito e livrar Decerto do mal. Após escapar do desmoronamento da caverna, Edward volta para a civilização e fala para Emily que o mal se foi para sempre da Mansão Decerto.

Jogando com a Emily Editar

Ela é a segunda protagonista do primeiro Alone, é também uma personagem jogável, apesar que o jogo faz sentido dela estar no game.

Afinal se ela contratou o Edward pra investigar a mansão, porque ela também iria e encontrar o cara ?

A resposta da empresa foi colocar Emily pra atrair um público feminino. Mas os eventos jogados com a Emily não são canônicos.

Alone in The Dark 2 (1993) Editar

Sinopse do game Editar

É Natal de 1924, três meses depois do primeiro Alone In The Dark. Edward Carnby e seu parceiro Ted Stryker estão investigando o sequestro de Grace Saunders, uma menina que possui estranhos poderes sobrenaturais. A trilha de pistas os leva a uma velha mansão chamada "Cozinha do Inferno": A casa de um chefe gângster famoso e da sua gangue. E Ted Stryker finalmente rastreou Grace Saunders na Cozinha do Inferno, e ele visa finalmente libertá-la.

Esgueirando-se para dentro, ele desvia dos guardas e sobe até o segundo andar ao longo das janelas. Ele entra em uma sala pela janela externa, mas seus passos pesados ​​atraem atenção indesejada, e mesmo que ele encontre Grace, ele não pode resgatá-la a tempo, pois um palhaço possuído o sufoca até a morte com as próprias mãos. Enquanto Grace congela de medo e terror, Elizabeth Jarret entra, rindo de sua morte brutal.

História do Game Editar

No mesmo dia, o detetive de Supernatural Edward Carnby recebe um telegrama de Stryker, dizendo o seguinte:

"A Cozinha do Inferno está amaldiçoada. Grace Saunders foi sequestrada por Jack Caolho. Ajude-me."

Dois dias depois, véspera de Natal, jurando ajudar Grace e seu amigo, Carnby pega um táxi para a Cozinha do Inferno. Ele tenta pedir sua entrada, mas é negado, como esperado. Sorte que ele trouxe seu próprio bilhete de entrada: uma bomba escondida em sua mala. Uma vez que ele explode, ele nocauteia o guarda-costas lá dentro e rouba seu Thompson, que ele usa para matar os outros gângsters que estão vindo atrás dele.

Depois que ele percebe que não apenas a porta principal está trancada, mas também é guardada por dois gangsters gigantes, equipados com pistolas piratas, ele, novamente, percebe uma escultura em posição incomum. Quando ele o empurra, ele revela uma passagem para um labirinto, que ele segue até encontrar um estranho grupo de cartas. Ele já havia encontrado uma corda acima de um gigante chamado Diamond Ace (Ás de diamante), então ele tenta mais uma vez.

Quando ele pisa, ela se abre e ele cai no chão. Dentro, há uma caverna de mão dupla. À esquerda: um alçapão, e à direita: algum tipo de altar, um baú e um bêbado com cara de bêbado. O baú estava vazio, e enquanto ele o empurrava, ele bêbado idiota continuava batendo nele, então Carnby o acertou, fazendo-o cair no chão e desaparecer na fumaça, deixando cair um caderno rasgado pela metade, que Edward pegou. Depois de empurrar o baú, ele encontra um valete metálico de diamantes. Ao caminhar em direção ao altar, ele nota um cartão que parece entalhado, no qual o conector metálico se encaixa perfeitamente.

Quando isso acontece, o altar se levanta e um espírito de aparência estranha apareceu, e estava pronto para atacar. Curiosamente, o fantasma é sólido e Carnby pode derrotá-lo facilmente com alguns golpes. O estranho fantasma deixa cair um sabre de pirata enferrujado e Carnby o pega no caminho para fora. Quando ele sai da caverna, ele explora um pouco mais do labirinto e descobriu vinhas vivas, que estavam batendo e girando.

A única lâmina em mãos é o sabre antigo, então Carnby o usa. Quando as vinhas cedem, ele segue, apenas para ser surpreendido por Shorty Leg (Perna Curta), que começa a atirar nele com uma arma escondida em sua perna prostética de madeira. Então, Carnby pega seu revólver e o descarrega em Shorty, que cai morto no chão.

Shorty Leg (Perna Curta), estava perto de uma estátua, e esta estátua parece terrivelmente familiar. Carnby pega uma foto que ele roubou antes de um dos gangsters, e ele não pode deixar de notar que o braço da estátua deveria estar apontando para baixo. Então, ele amarra uma corda na extremidade inferior de um gancho que havia encontrado antes, ataca o braço e puxa. Uma porta um tanto escondida se abre, e quando Carnby olha dentro dela, há algumas escadas, e quando ele desce por elas, ele escorrega e cai por uma parede de pedra escorregadia, levando-o a uma espécie de caverna.

Infelizmente, ele parou de escorregar sobre uma prancha e, em um momento de instabilidade, o Thompson escorregou de sua mão, o Revólver caiu de sua jaqueta. Ele estava em menor número e em armas. Ele respira com cuidado e prossegue, pegando uma moeda da sorte no chão ao lado de uma bolsa, uma manivela e um pedaço de jornal estranho. Desviando o olhar, ele avista um objeto caído e, quando se aproxima, percebe que é um cadáver, e quando se aproxima ainda mais, descobre que é o cadáver de seu amigo, Ted Stryker.

Chocado, Carnby diz em voz alta "É Stryker! Eles o mataram! Vou fazer com que paguem por isso!" Apesar da tristeza, Carnby tem que continuar. No bolso de Ted, há um limpador de cachimbo, que pode vir a ser útil em algum momento, e um caderno. Colocando-o junto com a outra peça. Finalmente está completo e Carnby pode finalmente lê-lo. Tinha uma mensagem muito desesperada e triste, como uma espécie de último testamento, dizendo-lhe para lembrar dos velhos jogos de pôquer e resgatar Grace Saunders. Carnby agora está determinado a não apenas resgatar a garota, mas vingar seu amigo também.

Edward tenta abrir uma porta de metal, mas está trancada. Ele olha pelo buraco da fechadura, mas não vê nada além da escuridão, então ele imagina que há uma chave do outro lado. Ele então coloca o papel rasgado debaixo da porta e empurra a chave com o limpador de cachimbo. Ela se agarra ao chão e ele puxa o papel, trazendo consigo uma chave, que é usada para abrir a porta. Dando uma segunda olhada no papel, era um pedaço de pergaminho com um pacto estranho, e parece que foi escrito por um músico.

Carnby abre a porta, sente um vento frio, vindo de uma passagem na parede em frente, que leva ao mar. Mas ele não pode deixar de notar o grunhido gordo e preguiçoso, dormindo atrás de um barril. Enquanto ele está nisso, ele vê um barril engatado em uma polia, que estava conectada a uma alavanca, logo atrás do mesmo cano de antes. Edward sopra o saco e o estala, fazendo um barulho muito alto, acordando o grunhido. Logo depois de se levantar, Carnby empurra a alavanca, liberando o cano, empurrando o vilão pela garganta além da passagem, que deixa cair uma espingarda carregada antes de seu mergulho mortal, derrotando o vilão.

Jack in the Dark Editar

Jack in the Dark é um jogo pequeno feito durante a produção de Alone in the Dark 2. Foi usado como um jogo promocional distribuído no Natal de 1993 (pouco antes de Alone in the Dark 2).

É uma pequena aventura com a menina Grace Saunders. Durante o natal , ela entra em uma loja de brinquedos após escurecer e fica trancada lá dentro. E os brinquedos estão vivos, e Grace deve encontrar uma saída da loja de brinquedos .

Alone in The Dark 3 (1995) Editar

Sinopse do Game Editar

O ano é 1926 e após o sucesso de Edward Carnby em seus dois últimos inquéritos, um jornalista o apelidou de "Detetive Sobrenatural". Desta vez, ele é chamado para investigar o desaparecimento de uma equipe de filmagem em uma cidade fantasma conhecida pelo nome de Slaughter Gulch localizada no deserto de Mojave, na Califórnia. Entre os desaparecidos está Emily Hartwood, sobrinha de Jeremy Hartwood do primeiro jogo. Edward logo descobre que uma maldição tomou conta da cidade, e um espírito de um cowboy malvado chamado Jed Stone é o vilão e o responsável pelo desaparecimento da equipe.

História do Game Editar

Depois que Edward percebe que a cidade está assombrada, ele viaja pelos edifícios, procurando por Emily em todas as partes possíveis dos locais da cidade, aprendendo mais e mais sobre o passado da cidade e a corrupção de seu líder, Jed Stone, enquanto ainda tem que evitar os irmãos Elwood, ex bandidos infames.

Quando ele finalmente está diante de Jed para trocar Emily por uma mala de dinheiro, Carnby é traído e assassinado. No entanto, ele retorna, carregando um medalhão indiano, que o trouxe de volta de Wasicum, a terra dos mortos, mas em forma de um puma com olhos de chacal. Ele recebeu a tarefa de devolver uma estatueta de águia ao seu lugar apropriado, para que ele pudesse retornar à sua forma humana mais uma vez.

Depois que ele faz, ele acorda enquanto é enterrado pelo ex-xerife da cidade Jack Dawson. Ele sai de seu túmulo e vai em busca subterrânea por Emily e Jed, tendo que lutar contra várias criaturas e resolver vários quebra-cabeças. Ele finalmente descobre onde está Emily e a resgata. Carnby chega a uma sala da caldeira, onde ele enfrenta Jed Stone e os Irmãos Elwood uma última vez, derrotando-os finalmente.

Ele e Emily descobrem uma locomotiva abandonada, que pode tirá-los de Slaughter Gulch. Depois que Carnby coloca o combustível adequado nele e o acende, eles finalmente escapam, abandonando Slaughter Gulch ao seu destino.

Desfecho do Personagem Editar

Após os eventos da trilogia original, de acordo com o arquivo do Dr. Hartford, Carnby fez uma viagem pela Europa Oriental e Índia, onde comprou vários objetos raros, viajou de volta para os EUA e partiu novamente. Carnby foi visto pela última vez em Delhi, onde desapareceu em circunstâncias estranhas em 1938. Seu corpo nunca mais foi encontrado.

Teorias do Desaparecimento de Edward Editar

A página de perfil de Edward Carnby pode causar alguma confusão, já que os eventos de Alone in the Dark 3 não estão incluídos nela, tornando difícil dizer quando ele viajou ao redor do mundo, e como não há uma data específica para eles, é difícil dizer por quanto tempo ele permaneceu nos EUA após os eventos de Alone in the Dark 2. Existem duas possibilidades: Carnby ficou nos EUA por pelo menos meio ano e procurou Emily em julho de 1925, quando Alone in the Dark 3 acontece.

Alguns meses, semanas ou até dias depois, ele viajou para a Europa e Índia. Voltou, ficou pouco tempo e foi embora. Carnby começou a viajar logo após Hell's Kitchen, foi para a Europa e Índia. Meses depois, voltou aos EUA, investigou Slaughter Gulch, ficou por um período não especificado e foi embora. Isso ainda deixa a pergunta: "Quando Carnby deixou os EUA?". Como ele desapareceu em 1938, e Alone in the Dark 3 ocorre em julho de 1925, sua partida poderia ter acontecido a qualquer momento entre julho de 1925 e o ano de 1938.

(Alone in The Dark, New Nightmare) - Depois do Reebot Editar

História do novo Edward Carnby Editar

Uma lenda de fundo foi criada para explicar a mudança repentina em Edward Carnby em Alone in the Dark: The New Nightmare. Diz-se que ele pertenceu a uma linhagem de Caçadores das Sombras, que nasceram no dia 29 de fevereiro a cada 40 anos e foram criados como crianças órfãs no Orfanato de São Jorge, todos com o nome de Edward Carnby.

Sinopse Editar

Situado em 31 de outubro de 2001. O melhor amigo e parceiro de Edward Carnby, Charles Fiske, foi encontrado morto na costa de Shadow Island, uma ilha misteriosa perto da costa de Massachusetts. A investigação de Carnby rapidamente o leva a Frederick Johnson, que o informa sobre a busca de Fiske por três pedras antigas e sagradas de uma tribo indígena chamada Abkanis com a capacidade de desbloquear um poder incrível e perigoso e que se encontra em um local chamado de Ilha das Sombras. Johnson implora a Carnby para tomar o lugar de Fiske e reabrir a investigação para recuperar os comprimidos. Carnby aceita e torna sua missão encontrar o assassino de Fiske. Johnson apresenta Edward a Aline Cedrac, uma jovem e inteligente professora universitária. Ela se junta a Edward para recuperar os comprimidos perdidos e ajudar o Professor Obed Morton, que ela acredita ser seu pai.
Enquanto sobrevoava a costa de Shadow Island, o avião de Edward e Aline é atacado por uma criatura desconhecida. Edward e Aline saltam do avião e caem de pára-quedas no chão, mas são separados imediatamente. Edward pousa na densa floresta do lado de fora de uma mansão, enquanto Aline pousa no telhado dela. O enredo do jogo é um cânone separado do principal da série.

História Editar

Ambos vão parar na ilha, porém em lugares distintos. Aline foi parar no telhado da mansão, enquanto o Carnby foi parar no meio da floresta. Por sorte, ambos possuem um intercomunicador, que usam para trocar informações e mostrar onde se encontra um para o outro. Então, ambos se aventuram enquanto tentam entender o que está acontecendo na tal ilha. Não demora muito para eles encontrarem diversos monstros, e terem de lutar pela própria sobrevivência.

No interior da ilha, eles descobrem relações intrínsecas entre os moradores da ilha e os monstros. Aparentemente, a ilha pertence a uma única família: os Mortons. Os membros dessa família estão acostumados a conviver com monstros e aberrações (talvez por viverem em uma ilha amaldiçoada), com as cavernas repletas de caveiras e com sangue para tudo quanto é lado. Eles tiram sarro de pessoas que vêm de fora da ilha, pois essas pessoas ainda costumam apresentar medo do escuro e dos monstros. Eles afirmam que é o medo que atrai esses monstros, e por isso eles não precisam ter medo desses monstrengos: assim, eles se acham seres humanos evoluídos.

A família Morton como um todo sempre tentou usar o poder das trevas que emanava daquela ilha para fins próprios. Na tentativa de dominar esse poder, a família se especializou na criação de armas especiais que pudessem combater esses monstros, em especial armas que usassem e projetassem luz. Por isso há várias armas de luz especiais espalhadas pelo local. Apesar de ser uma família bem estranha, ela era composta por pessoas do bem... E do mal.

Primeiramente, os patriarcas. O pai, Howard Morton, filho de Jeremy Morton, é casado com sua esposa, Lucy Morton. Um pai atencioso e carinhoso com os filhos, não possui qualquer má índole, e tenta criar seus filhos da maneira mais segura possível naquele lugar, reservando a passagem de alguns de seus filhos para as áreas mais perigosas da ilha. Ao chegar ao local, Aline Cedrac desconfia que Obed Morton pode ser seu pai, que desapareceu sem deixar vestígios quando ela era uma criança. Mas depois ela descobre que não.

Lucy sofreu um acidente de cavalo na adolescência, após ter seus dois filhos, e desde então teve um problema na coluna, que a impossibilitou de andar, e um problema nos olhos, que a deixou permanentemente cega. Precisando de cuidados o tempo todo, ela começou a conviver apenas em seu quarto, de onde ela morria de medo dos sons que vinham lá de fora. Por possuir sentidos muito aguçados, ela ouve muito bem, inclusive percebe a presença de espíritos e fantasmas que seres humanos comuns não conseguem pressentir. Ela teme muito pela vida de seu filho mais velho, Obed, enquanto anseia pelas maldades de seu filho mais novo, Alan.

Os filhos é que são o problema. Obed Morton, o irmão mais velho, não traz problemas para ninguém e é bem educado até. Renomado antropologista, Obed ficou famoso por estudar a tribo indígena Abkanis, que residia na ilha de Shadow Island antes mesmo dos primeiros nativos americanos.

Obed traduziu as runas antigas nos templos ao redor da ilha, e descobriu uma fonte de poder inesgotável, inclusive as chaves para acessar o mundo subterrâneo e para controlar os mortos. Ele foi financiado o tempo todo por um homem chamado Christopher Lamb, diretor do escritório 713 (que planejava usar o poder místico das runas para fins maléficos).

Lamb o pressionava constantemente, através de cartas, mas ele conseguiu traduzir tudo. No entanto, Obed temia a ira de seu irmão, ao fazer isso. Mas Obed sempre pode contar com a ajuda de um velho amigo da família, Edenshaw.

Edenshaw é a última espécime viva da extinta tribo Abkanis. Ele é um xamã indígena, e é do bem. Amigo dos Morton desde a época de Jeremy Morton, se mudou para a ilha em 1924 e continua lá até hoje. Edenshaw possui poderes especiais e poderes ocultos que não costuma revelar. Ele não concede muitas pistas aos personagens principais do jogo, mas ele se diz capaz de prever o futuro, e informa com clareza o significado da vinda de cada um deles. Bem, talvez não com tanta clareza assim, mas ele é bem sábio.

O medo de Obed não é para menos. O irmão de Obed é o maluco sádico Alan Morton

Alan é o ser mais perturbado da família, e a causa dessa confusão toda. Alan desde criança desenvolveu um poder especial: o de conversar com as criaturas do obscuro. Ao poder se comunicar com os monstros, ele não tinha medo deles, e pelo contrário, aprendeu a conviver com eles. Os demais membros de sua família o abominavam por isso, mas ele não se importava. Alan criou um laboratório secreto, localizado abaixo da capela de sua ilha, para poder realizar experimentos. Dissecando corpos de animais e de humanos, ele fazia sérias experiências sobre a vida e a morte, e, usando as runas traduzidas por seu irmão Obed, ele tinha acesso a poderes inimagináveis. Alan era capaz de abrir um portal para o mundo das trevas, e, de acordo com ele, de criar um ritual para tornar-se imortal e infinitamente poderoso. Suas atitudes perversas fizeram com que Alan matasse o próprio pai, só para realizar experimentos com ele, e usasse o corpo do próprio irmão Obed como cobaia de alguns testes, transformando-o em uma criatura horrenda.

Basicamente, o jogo prossegue assim. O dia em que o ritual teria de ser feito é o exato dia em que Carnby e Cedrac caem na ilha. Sendo assim, eles se unem para impedir que Alan consiga realizar esse ritual. Para isso, eles atravessam florestas, pântanos, mansões, cavernas, bosques, parques, templos, igrejas, laboratórios secretos e chegam até mesmo ao mundo sombrio. Por fim, eles conseguem derrotar Alan Morton, bem a tempo de impedir o caos que estava por vir. E de quebra ainda impedem Obed Morton de se vingar da fúria pelo irmão. Eles conseguem pedir ajuda e fogem em um helicóptero que vai buscá-los na ilha. Eles deixam para trás Edenshaw, que presencia o ritual que destrói a ilha por completo, impedindo que ela fosse usada no futuro para governar as criaturas das trevas.

E você deve estar se perguntando: "E o Charles Fiske?". Pois é. Foi tudo um plano armado por Frederick Johnson, superior de Carnby, para fazê-lo ir até a ilha. Johnson também mentiu para Aline, dizendo que Obed Morton era o pai dela, só para incentivá-la a ir também. Tudo para que eles chegassem à ilha e impedissem os planos de Alan, e de quebra trouxessem os manuscritos das runas indígenas dos Abkanis para fora da ilha. Johnson estava a mando de Christopher Lamb, que pagou um alto preço por aquelas runas. E assim o jogo acaba: a ilha é destruída, a tribo Abkanis e a família Morton são extintas, Carnby e Cedrac vão embora sem conseguir aquilo que queriam no início e Lamb consegue o que precisava: as traduções das runas. Não se sabe porque ele quer essas runas, mas boa coisa não deve ser. De qualquer forma, é assim que acaba a história.

Alone in The Dark: Inferno Editar

O jogo começa com um Edward amnésico acordando de um exorcismo. Depois de ouvir uma breve conversa entre dois homens vestidos, um deles recebe a ordem de Crowley para levar Edward para o telhado do prédio e matá-lo. O guarda é morto por uma força invisível, permitindo que Edward escape. Enquanto ele vagava pelo prédio procurando uma saída, ele testemunha várias pessoas sendo mortas ou possuídas por forças demoníacas.
Durante sua busca por uma saída, ele conhece Sarah Flores, uma negociante de artes. Juntos, eles vão até o estacionamento, onde encontram Theophile Paddington, um homem idoso que afirma saber o que está acontecendo e quem é Edward. Ele conta que o caos no prédio foi causado por uma pedra que, até recentemente, estava nas mãos de Eduardo. Foi tirado de Edward por Crowley, que lançou seu poder.
Paddington tem a pedra agora e finalmente afirma que, para acabar com o caos, Edward deve seguir o Caminho da Luz, antes que seja tarde demais. Os três pegam um carro na garagem e saem para a cidade, encontrando-o no mesmo caos do prédio que acabaram de deixar, tendo que dirigir em direção ao Central Park.
Enquanto uma fissura gigante destruindo as ruas os segue, eles batem o carro no Central Park, lá Paddington afirma que não tem força para continuar, ele entrega a pedra para Edward e diz a ele e Sarah para encontrá-lo no museu, então se mata. No caminho para o museu, Edward descobre que seu sobrenome é Carnby. Diz seu nome a um médico que encontra e que cuida de suas feridas. Enquanto o médico verifica o histórico médico de Edward, ele informa a Edward que o único Edward Carnby em seus registros desapareceu em 1938.
No museu, o fantasma de Paddington explica mais sobre a pedra. Continha Lúcifer depois que ele foi expulso do Céu, até que Crowley o libertou. Lúcifer agora quer usar a pedra para trazer o fim do mundo. Paddington diz a Edward que há um segredo no Central Park que permitirá que Edward pare Lúcifer. Enquanto Edward volta para o Central Park, Sarah permanece no museu, enviando por e-mail trechos do diário de Paddington que ela acredita que irão ajudar Edward.
Uma vez no Central Park, Edward conhece Hermes, que segura uma pedra semelhante à que Edward tem. Edward é então revelado como o Portador da Luz, o portador da Pedra Filosofal, o caminhante do Caminho da Luz e, subsequentemente, o recipiente perfeito para Lúcifer. Edward e Hermes voltam ao museu para encontrar Crowley segurando Sarah sob a mira de uma arma, exigindo a pedra de Edward. Edward atira na cabeça de Crowley, então Hermes abre uma caverna no museu que leva ao portal de Lúcifer para a realidade.
Hermes combina sua pedra com a de Edward, e a porta de Lúcifer começa a se abrir. Edward se pergunta confuso sobre como ele pode derrotar Lúcifer, e Sarah revela que a profecia de Lúcifer termina com o paradoxo de que "a derrota de Lúcifer é também sua reencarnação", e Hermes diz a Edward para pegar a pedra, para que ele possa enfrentá-la, e Lúcifer começa para se manifestar através de Edward. Quando Lúcifer começa a tomar o corpo de Edward, Sarah agarra a pedra para impedir que ele seja possuído, e Hermes diz a Edward para tomar uma decisão por toda a humanidade, matando Sarah ou deixando-a viver.

Final 1 Editar

Edward não atira em Sarah, eles se abraçam e Sarah pergunta se Edward a ama a ponto de brigar com ela. Edward então se afasta para ver uma Sarah possuída, que o provoca sobre matá-la e perguntar "como é estar tão sozinho", ao que Edward responde: "Estou acostumado a isso." e Edward vai embora. O que acontece com Edward, Sarah e Hermes depois permanece desconhecido.

Final 2 Editar

Edward então atira em Sarah, e ela cai no abismo. Edward se ajoelha de dor, enquanto Lúcifer assume o controle dele. Hermes diz que "o último ato livre do homem foi o assassinato", e um Carnby possuído responde "então é seu primeiro ato livre", erguendo Hermes em direção ao portal com seus poderes, enquanto expressa: "Eu sou o portador da vida ! Eu sou a porra do Universo ! ". Hermes grita que "os homens ficarão contra ele" e, ao ouvir rosnados demoníacos vindos de dentro do portal, Carnby responde: "Você achou que eu viria sozinho ?" e sorri.

Trivia Editar

  • O nome de Edward Carnby é uma citação de John Carnby, o personagem da história The Return of Sorcerer (O Retorno do Feiticeiro), de Clark Ashton Smith, baseado nos mitos de Cthulhu criados por HP Lovecraft; O enredo do primeiro Alone in the Dark é fortemente influenciado pelos escritos do escritor americano.
  • Em Alone in the Dark (1992), Carnby afirma ser conhecido como "o réptil". No entanto, o motivo do apelido é desconhecido. É possível que seja porque ele não é muito sociável ou porque é uma pessoa de sangue frio. Mas embora o próprio Carnby afirme que sim, este estranho apelido não é mencionado ou mesmo repetido em outros jogos por nenhum personagem, nem mesmo por ele mesmo.
  • Pelo que tudo indica, Carnby não confia em ninguém além de si mesmo, revelando semelhanças com Sherlock Holmes.
  • Uma lenda de fundo foi criada para explicar a mudança repentina em Edward Carnby em Alone in the Dark: The New Nightmare. Diz-se que ele pertenceu a uma linhagem de Caçadores das Sombras, que nasceram no dia 29 de fevereiro a cada 40 anos e foram criados como crianças órfãs no Orfanato de São Jorge, todos com o nome de Edward Carnby.
  • O nome é descrito como uma forma literal anglicizada de "El War Qarn'bi", que significa "aquele que combate o mal encarnado e caça nas sombras". De acordo com essa lenda, o Edward Carnby original nasceu em 1888 e saiu do registro após se envolver em vários casos incomuns nos anos de 1920 a 1939. O Edward Carnby em Alone in the Dark: The New Nightmare nasceu em 1968.
  • O aspecto de Carnby, nos primeiros capítulos, é uma provável homenagem ao pesquisador paranormal americano Charles Hoy Fort (pesquisador, entre outros, citado pela história de Lovecraft em The Whisperer in Darkness/Sussurro das Trevas).
  • Em Alone in the Dark 3, Carnby menciona no jogo que ele odiava particularmente aranhas.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.